terça-feira, 24 de agosto de 2010

INFINITO LOUCO AMOR

Não esqueço jamais de ti.
O perfume suave de tua lembrança
dorme e amanhece no corpo das manhãs,
das tardes e das noites em que me vejo
toda vez que te vejo aqui.
A alma se compromete com o dever
de seguir adiante em busca do sol
dessa doce lembrança de ti.
Nem que o sol queime as retinas
mas vou em busca de ti no olhar rúbido
e frenético e alucinógeno do sol
dessa doce lembrança de ti.
Espraimo-me sobre as areias das tuas
vertebráveis fotos de onde todas
as claridades da vida fotografaram
os espelhos encantáveis desse teu olhar
que sempre me busca nas auroras
de outroras que hoje imagino ter-te aqui
bem dentro de mim onde tou perto de ti
e de tudo que é amor e flor e cor e licor
pra esparramar sobre os assoalhos do ávido
esquecimento de mim que preciso dessa
solidão de não mais ter-te aqui, mas muito
mais do que apaixonado por ti e querer
que a solidão de não mais te possuir
vá embora de mim e esqueça do meu tempo
que ainda tenho pra te abraçar em mim
todo um amor e toda uma paixão que ainda
creio e que amo puramente vindos de ti.
Todos falam, todos escrevem sobre as coisas
do amor, mas eu não falo e nem escrevo
quando te retrato minha alma em ti, meu corpo
em ti, minha vida em ti, apenas sinto! sinto!
sinto esse sentimento mergulhar, ir bem longe
e me buscar bem longe e me trazer pra ti, e me
devolver pra ti, e me acalentar, me esquentar,
me adentrar no teu eu voraz que me dementa,
que me apresenta teu corpo em tua alma e me
faz adormecer mortalmente, desfalecidamente
como gota que cai do corpo do mundo do suór
em altos graus da doce temperatura da minha
saudade de ti que me faz tremer, que me faz
voltar às loucuras que fizemos juntos com nossos
corpos, com nossas íntimas velocidades lascivas
que jamais deixarão de existir nesta memória amorosa
e apaixonante de ti, de ti que ainda amo por demais
e amo por muito tempo, o muito tempo ainda
desse infinito e louco amor.



( Hudo Guedes )
CARÊNCIA

Manhã acordada
esperando a janela se abrir
e ver que espero de minha solidão
os brados carentes de um corpo
que faz das traquéias dos gritos
do amor
melodias que se dissolvem
nos copos cristalizados
da alma
embebida pelos vulcões impiedosos
das paixões.
Meu corpo nú agora veste-se
das roupas escuras
das solidões
tratadas em mim
como a carência
de escamas de peixes
perdidos no mar
de estrelas cadentes.
Barbárie mental:
ver-me debruçado
sem alguém se quer
pra me tomar
corpo à dentro
e copo cheio do áspero licor
das deusas que me fizeram
arder-se de amor e fugir
de mim como anjo que foge
de um quarto solitário.
Quero me valer dessa solidão
por causa da inspiração
que me vem este poema sem cor,
contudo quero armazenar em mim
tuas vindas silenciosas e bruscas
deixando em minha inapagável carência
o estímulo único de teu verdadeiro
amor.


( Hudo Guedes )
LUZ CORPORAL
DA MINHA MEMÓRIA


Teu olhar ilumina a minha memória
e depois alcansa o meu coração e
me invade e me inala e me consome
e depois sai de mansinho com as
sandálias de ouro dependuradas
às tuas mãos arcanjas que apertam
profundamente meu peito apaixonado.



Hudo Guedes
GRAHUDOS


A mente é uma estrada
onde trafega um automóvel
chamado sentimento
cujo motorista se chama:
o coração.
Trocando em miúdos grahudos:
o coração guia os sentimentos
através da mente.



( Hudo Guedes )
MAIS UM ENTARDECER


Mais um entardecer
que flora a lonjura
de longos rios
brotados na afluência
da saudade de alguém
que deságua no açude
milenar da memória
que gosta tanto desse
alguém que já veio
e tá no meio da claridade
despertada pela ânsia
de uma noturnidade
que já veio e que tá
no início, no meio
e no infinito desse beijo
cegueiro que o sol dá
nos horizontes dessa
doce saudade de alguém
que já veio e que já tá
aqui no meio dessa lembrança
suavizada de saudades.


Hudo Guedes

O SONHO QUE O

AMOR SONHA



Meu pensamento viaja
em busca de um sonho; quero conhecer
a terra em passarinhadas, mostrar o meu amor
pela terra, quem sabe conhecer as estrelas,
quem sabe ler as poesias que o sol escreve
todos os dias pra sua amada lua que tanto
nos inspira todos os dias, e saber que no cósmico
da alma ressoa um vialêjo tocado pela boca
dos meus sonos anunciando meus sonhos..!
e pensar que posso morar na microscopia
dos átomos que habitam no sôpro desses
ares oníricos a minha melíflua vontade
de te beijar, te acariciar o rosto perdido,
que em busca do meu viu uma chama
incendiando uma respiração ofegante
que veio acalentar um corpo solitário
que pede o amor desesperadamente
da alma que sabe cultivar o amor
que tanto sonho de ti.

Hudo Guedes.

MEU VELHO AMOR PROFUNDO PELA PAZ


Mais uma vez o eu manifestativamente
aqui cortêz
com este barco que segue
em frente
chamdo de vida,
comprida como a filha
dos minutos: a hora;
hora de derramar
no amar a demora
de te agarrar
agora, oh paz!
que tanto me safisfaz
com seus atos reluzentes
que trazem os fatos do amor
à tona das mentes
para que a relidade
que sentes
seja igual a do meu coração
perdido
de amor por ti
oh paz do mundo
que difundo
ao te sentir!!


( Hudo Guedes )
MINHA FÉ


Minha fé atravessa oceanos!
sei que o Pai sente-me
quando caio ou levanto-me
de alguma queda espiritual
cujo corpo é uma salvação
que me vem por um momento
único que se multiplica em dia,
em noite, em dia, em noite...
e assim vou levando minha vida
nos momentos de minha fé
a todo momento vivendo em mim.
Deus é todos os meus momentos!
me salva, me ama, me vive!
Deus é todas as minhas salvações
em todos os momentos que vivo
insistindo livremente em viver
de minha doce paz e de minha
útil fé que percorre todos os
momentos do meu dia e da
minha noite percorridos
nos coágulos do meu cérebro
coagulados em meu coração
que fazem de minha vida
a fé construtiva de um ser.
Deus é todos os meus momentos!
Deus é todas minhas salvações!
E hoje me livrei da morte...



( Hudo Guedes )
CARÊNCIA

Manhã acordada
esperando a janela se abrir
e ver que espero de minha solidão
os brados carentes de um corpo
que faz das traquéias dos gritos
do amor
melodias que se dissolvem
nos copos cristalizados
da alma
embebida pelos vulcões impiedosos
das paixões.
Meu corpo nú agora veste-se
das roupas escuras
das solidões
tratadas em mim
como a carência
de escamas de peixes
perdidos no mar
de estrelas cadentes.
Barbárie mental:
ver-me debruçado
sem alguém se quer
pra me tomar
corpo à dentro
e copo cheio do áspero licor
das deusas que me fizeram
arder-se de amor e fugir
de mim como anjo que foge
de um quarto solitário.
Quero me valer dessa solidão
por causa da inspiração
que me vem este poema sem cor,
contudo quero armazenar em mim
tuas vindas silenciosas e bruscas
deixando em minha inapagável carência
o estímulo único de teu verdadeiro
amor.


( Hudo Guedes )
NÃO TE AMO MAIS


Meu pensamento não pertence mais
a este querer que desapareceu
da face da terra do universo
do meu coração que não te ama mais.
Não te amo mais! porque sei também
que não me ama mais! o amor que era
bonito virou tolice! está apagado!
meu corpo está fugido do teu corpo.
Não há mais atração nem desejo.
Nem choro por isso, mas lamento
ter terminado assim, com brigas,
disputas de razões, tolices, um grande
amor que se foi com os ventos absurdos
do fim que sempre nos levam pra outros amores.
Mas cabou, e disso sabemos que sua morte
foi causada pelo esquecimento de nós mesmos.
Os sentidos sentimentais já não são mais nenhum
contato com a imaginação lúcida da paixão.
Não há mais querer e nem tão pouco sobreviver,
morremos mesmo um pro outro e fonto final.





( Hudo Guedes)
NAS MINHAS DIREÇÕES


Vislumbro uma reta...
a direção dos girassóis
tomando banho de pétalas
da mesma direção que vislumbro
teu olhar cobiçado pelos pântanos
das viagens que os sonhos fazem
nas margias suculentas do amor.




( Hudo Guedes )
NEGÓCIO NENHUM COM O AMOR

Quem não sabe amar
não quer amar,
e olhe lá
nem tão pouco
ser amada.
Acha que é pura besteira
amar e ser amada.
Que não é útil
gostar tanto assim
e nem ser lembrada
por mim.
Acha que é melhor assim
não ser amada
por mim
nem no exagero,
nem na conta certa!
acha que assim
tudo entra em desespero
e algo de abuso desperta.
Negócio nenhum
com o amor ela quer,
mas esquece que eu
posso gostar
de outra mulher!
e ainda diz
que posso ser feliz
amando quem
eu quizer.
Negócio nenhum
com o amor
e nem comigo!
será que ela deseja
por acaso que eu seja
seu amante
e seu inimigo?
e vou mais além:
negócio nenhum
nem com o amor,
nem comigo
e nem com ninguém!


( Hudo Guedes )
O PRISMA DE MIM

O prisma volupia
na miopia
do pensamento
do esquecimento
que me vigia
quando à toa
minha mente voa
e jaz aqui
minha poesia
morta de amor
quando descia
de mim uma flor
pra buscar
na volúpia da dor
uma fantasia
que dizia:
faz comigo amor!!!
e eu fiz
mesmo infeliz
a canção da dor:
criatura que inspira
e me atira
nos braços do amor.


( Hudo Guedes )
O AMOR


Pra que se assustar comigo!
se eu sou o amor, sou a paz,
sou as responsabilidades
dos carinhos humanos
para com o mundo!
por que se assustar comigo
se sou a mão que se ergue
para pegar outra mão e seguir
em busca das doutrinas de Deus!
não se assuste comigo não!
te dou a paz e todos os segredos
do bem estar espiritual que determina
pro rosto belo da vida a epiderme
asséptica e naturalmente leve
de toda luz infinita do corpo
revelado aqui no espírito deste poema
inspirado e traduzido pelo amor.
Quero te dizer mais uma vez
que sou alimentado pela honestidade
sempre que te faço uma poesia,
e mesmo que eu não te diga nada
saiba que apenas escrevo quando
eu sinto bater à minha porta mental
palavras despertadas pelo meu coração
onde me dirijo e deixo-me levar
pelas profundas emoções onde as razões
são definitivamente sacramentadas
na eliminação imediata de possíveis ilusões
que me queiram corrigir minha alma
mas minh'alma pertence às forças seguras
do amor que sinto pela vida.


( Hudo Guedes )
O AMOR DAS CANÇÕES


O vício de amar
não aborrece o vício
de sofrer por um amor
que não me compreende,
vendo no rever de detalhes
que preciso ser compreendido,
que preciso ser amado,
por mais que esquisito eu seja,
entretanto ainda há em mim
um grande amor a ser colhido.

O vício desse amar
me faz olhar de dentro
dos sentimentos desse amor
que te procurar é sempre
esperar por mim e deixar
que te aconteça uma vinda
de ti sobre mim para que
se movam atitudes fortes
dos teus sentidos de buscas.

Quero te alimentar de mim,
de uma vez por todas anseio
este alimento da boca dos teus
desejos para que eu ouça
de tuas palavras um eu te amo
mais do que sincero, infinito!
mais do que amoroso, infreável!
e que acima de tudo nossa paz
se conjugue com nosso dia a dia.


( Hudo Guedes )
O BARCO N. 2



Atravessam-se no mares
as serpentes das correntes
dos ventos de todos os lugares.

Atravessam-se nos altares
as dormentes dos querentes
meditando Deus e vos pedindo os olhares.

Atravessam-se nas filosofias
o imperialismo do pensamento
de que é feita a bússola dos dias.

Atravessam-se nas poesias
o algarismo do alumbramento
e a beleza teórica das fantasias.



( Hudo Guedes )
O DOCE E SÃ VÍCIO
DE AMAR AS MANHÃS




O globo solar desse retrato
passa de fato um ápice ocular
que germina na fonte dessa manhã
um horizonte desse afã de sentir
que ainda vai surgir um novo mundo
dos versos dessa luz onde compuz
meu lado profundo de querer voltar
não pra longe, sópra lá, onde mora
um monge que rezou pro amor nunca
mais mais acabar na meditação da alma
que por mais calma que seja sempre
deseja acelerada a sós que venha
uma nova manhã pra mente sã
que vigia todos nós.


( Hudo Guedes )
O EGO INVOLÚPIO

Escorre friamente
sem o desejo da volúpia
estampado na neblina
de seu corpo esquecido
por sí mesmo mas desejado
por mim.
Essa mulher nebulosa
que é de rosa e que exalo
de mim a fome corpórea
de meus olhos ansiados,
de meu corpo esquecido
por ela que não se volupia,
inertiza as onças sensuais
que ainda sonho de seus afãs
preocupados com os tributos
e não com as causas do amor
determinadas pelas paixões
pro homem e a mulher
tratarem em seus rúbidos
cotidianos leituais.

( Hudo Guedes )
O EGO INVOLÚPIO

Escorre friamente
sem o desejo da volúpia
estampado na neblina
de seu corpo esquecido
por sí mesmo mas desejado
por mim.
Essa mulher nebulosa
que é de rosa e que exalo
de mim a fome corpórea
de meus olhos ansiados,
de meu corpo esquecido
por ela que não se volupia,
inertiza as onças sensuais
que ainda sonho de seus afãs
preocupados com os tributos
e não com as causas do amor
determinadas pelas paixões
pro homem e a mulher
tratarem em seus rúbidos
cotidianos leituais.

( Hudo Guedes )
O MAR DO AMOR


Não tenha medo
da noite nem tão
pouco do sol que
entra dentro da
lua e faz uma tocha
iluminar o mar
da noite que trouxe
uma concha contendo
um susto, o peixe
grande e poderoso
do amor.

Não tenha medo
de amar! não sinta
susto ou vergonha
de tanto se dar!
o amor às vezes
sai do mar feito
uma lua grande
ou um sol ardente
e entra terra
à dentro buscando
gente pra namorar,
e prá amar com
a cadência da eternidade
fazendo ele se soltar
buscando nas coisas
a melhor forma
de nos agarrar.
Não tenha medo,
ele vem sempre à noite,
numa escuridão disfaçada,
que não passa de um mar
vigiado por sereias holofoteadas
por sols e por luas.

Não tenha medo não!
ame sem medo!
doe-se sem medo
de amar demais!
ame-se mas ame
alguém!
doe sua alma
no seu corpo
porque sua vida
é feita de amor!
não tenha medo!
não se assuste comigo!
eu vim pra aqui
pra ter-te e vou ter-te!
por mais que meu nascedouro
seja um mar escuro mas há
um sol lá em cima!

Hudo Guedes
OS OUROS


O ouro da sinceridade
reluz nas pérolas do amor
que o mar dos corações humanos
resgata da vida pra oferecer assim
pra todos que queiram de mim
essa paz dos meus anjos soberanos.

O ouro da cumplicidade
reluz sim até na dor
pra despertar na hora dos desenganos
as visões equilibradas de algum fim
que vieram orgasmadas daquele serafim
alçando-se sobre loucos versos puritanos.

O ouro da carinhosidade
reluz na luz de uma flor
que me trouxe da imaginação dos insanos
a intensa sensatez de minha calma carmim
regada pelo desarmamento desse estopim
explodido nas chamas dos amores humanos.




( Hudo Guedes )
ÓSCULO
E SUÓR



Teu olhar
desarma meu olhar
quando na tenda dos anjos
bebo e me embriago
da lembrança lúbrica
que desce do corpo
da minha memória
como um suór reinando
o coração das rosas
desse ato úmido
de amar-te quase
sem o respirar... anjo
que me esvoaça
nas asas do ósculo,
do sonho e de alguma
vírgula intrépida da história
nupcial do amor com a paixão.



( Hudo Guedes )
POUSO DE PASSARINHO





Passarinho pousa *** Passarinho de minha poética
no mel dessa fotografia *** voa em busca dos sonhos
que é fazer poesia *** de tornar real a ave sintética
pra ti que me ousa *** do teu võo sobre a dialética
a voar nessa cousa *** forma silenciosa dos risonhos
chamada real fantasia. *** versos tristes de minha cética.




( Hudo Guedes )

ELOS

Hoje aqui a tarde brilha.

Sol meio suave por causa

da leveza do olhar mágico

do pensamento em se ter

agora uma tarde levemente

árdua e equilibrada pelas

sensações do grande bem estar

da alma que veio da manhã.

E o corpo adormece nela

que tece um fio de vontade

na múltipla ânsia de poder

se vestir do mel das abelhas

elétricas de minha mansidão.

A chuva hoje se foi pra outro

lugar talvez distante daqui.

Choveu muito ontem e me fez

brotar uma flor no alagadiço

dessa ternura quase esquecida

por ti que não me vem abraçar

este colo calado que abriga

meu doce coração da vida.

Deito sobre a luva

do avoar de sonhos

o ego das palavras

que a realidade dos profetas

me transmitiu entre centelhas

agrestianas dos arco-íris

as felicidades que ainda

estão advindas nos teus

sonhos de mulher unicamente

feita para corações poetas.

Por isso que a tarde agora

e nesse instante está bela,

calma e translúcida

nesse fevor borbulhante

que me traz teu hálito feminístico

ao pomar rosáceo das saudades.

( Hudo Guedes )

PARECE QUE É
DA NATUREZA
FEMININA



Parece que é da natureza feminina
amar o agasalho do homem
e não amar propriamente
o corpo masculino que se veste
de agasalho e agasalha o corpo
da mulher que grita por conforto,
que sonha com o estado ameno
da velocidade sexual do homem
que na verdade lhe ama e lhe quer,
lhe deseja todos os dias mas com
devidos freios que há nas rodas
bicicletiantes do coração dele
que gira, gira e corre pro seu amor,
armadilha que insinua desejo
mas que no fundo só quer agasalho.
Esse é o estado profundo do mundo
da alma feminina que sonha com o corpo
freiado do desejo do homem que é intenso
mas ele parece que tem que se haver
da conformação e deixar que esse agasalho
de repente se torne um constante desejo,
o desejo de agasalhar o seu amor somente
e deixar que o sono busque esse sonho feminino.


( Hudo Guedes )

PEQUENA HISTÓRIA DO SIM


Nasci poeta
sou viajante
e minha meta
é ser um amante
das artes de amar
e ser amado antes
que venha o mar
e carregue o teu colar
de brilhantes
que tenho guardado
por eu ser amado
em teu coração de gigantes
como Deus e os anjos infantes
do teu sim no meu sim poetizado.

POEMA DE UM
AMOR GUARDADO



FICAR O POEMA GUARDADO
PELO MENOS DENTRO DO CORAÇÃO.
O AMOR GUARDADO DENTRO
DE SÍ E DENTRO DE TODOS
ÂNGULOS QUE O OLHAR POSSA
MERGULHAR NAS RESPIRAÇÕES
DO TEMPO, DO TEMPO DE AMAR
ESCREVER PALAVRAS DE POESIAS
ANTIGAS QUE SE ESCREVE HOJE
COM OS DOTES DESSE PROSSEGUIR
EM BUSCA DE TI, OH POESIA DE MIM.
GUARDAR, SIMPLESMENTE GUARDAR
A MELHOR COISA DO MUNDO, O AMOR,
DENTRO DE MIM E DENTRO DE TI.
GUARDAR TAMBÉM AQUELE POEMA
QUE EU ESCREVI PRA TI E AQUELE
QUE TU ESQUECERAS DE ME MANDAR
MESMO NÃO ESCREVENDO-O E MESMO
FAZENDO COM QUE O TEMPO NÃO
O ESCREVESSE E NÃO O MANDASSE
PRA MIM ASSIM COMO A TERNURA
DEIXOU TE ENVIAR PRA MIM AQUELE
POEMA QUE O AMOR ESCREVEU
PRA NÓS, NÓS QUE AINDA SOMOS
O AMOR, MESMO ASSIM, AINDA
SOMOS O POEMA QUE O TEMPO
DO LADO INFINITO DE NÓS DOIS
AINDA ESCREVERÁ PRA VIDA.



( Hudo Guedes )
POEMAS EM CARTAS DE AMOR


Já fiz cartas de amor
e as mandei pra amada
dizendo o que sou
com a palavra multiplicada
em poema de dor
mas em poesia cantada
pelo aroma da flor
dessa alegria inspirada
pelo coração que voou
em busca da amada
que nunca mais me deixou.


( Hudo Guedes )
PROCURADO:



Tem poetas que são assim,
vivem de seus esconderijos rígidos
mas acháveis, enfim.

Mas tudo em mim
tem uma clareza silenciosa,
ora espinho ora rosa
mas sempre um querubim.

Queria gritar bem alto:
quero o mundo aqui
sem dar nenhum salto!

Mas não posso, me pauto
na idéia de sempre me servir
o alimento nobre do sentir:
o amor, que me fala mais alto!



( Hudo Guedes )
PROCURADO:



Tem poetas que são assim,
vivem de seus esconderijos rígidos
mas acháveis, enfim.

Mas tudo em mim
tem uma clareza silenciosa,
ora espinho ora rosa
mas sempre um querubim.

Queria gritar bem alto:
quero o mundo aqui
sem dar nenhum salto!

Mas não posso, me pauto
na idéia de sempre me servir
o alimento nobre do sentir:
o amor, que me fala mais alto!



( Hudo Guedes )
QUE LUZ!!



Uma certa vez um poema me disse:
me faz um poema, e eu o fiz um poema de amor,
mas tudo não passou de engano, e eu esqueci
por uns dias que algo de esquisito tinha tomado
de conta de mim: algum sentimento esquisito.
mas dias depois eu vi uma luz me pedindo:
me faz uma luz, e a fiz uma grande luz; um poema.
Desde de então passei a escrever poemas e uma
luz iluminada não saiu mais de mim, a luz das minhas
poesias e de todos os meus sentimentos de poeta.


( Hudo Guedes )
TEMPO DAS PRIMEIRAS POESIAS

Primavera
renasce...canto das distâncias,
mas propago as infâncias,
e quem me dera
falar da minha todos os dias.,
saber de tuas poesias,
rimar tuas brincadeiras
onde escorregadores tu subias
e ladeiras tu descias
porque as flores nasciam
dos girassóis
que feitos nóis
amarravam os olhos que teciam
a vagareza dos caracóis
na prêsa de peixes em anzóis
que no rio límpido desciam
pra alegria de nós.

O beijo da meninice ficou
grudado naquele rosto belo
que eu velei com amor
amando dia e noite a flor
que fez da vida e o poema um elo.

Quero amar sempre as primaveras,
as meninas que eu não tive,
as jias cantarolando quimeras
pra história das pedras que ainda vive
nos livros dos rios fazendo feras
de inspirações mágicas e aquarelas
do amor que sempre o poema me crive
de rosas minha alma sem querelas.


( Hudo Guedes )
TEXTO DA VIDA



Pessoas procuram pessoas!
caminhos de amigos, notícias
que daqui a pouco o trem
vai chegar e na estação estarão
malas e brinquedos de criança,
velhos sábios sentados nos bancos
que dão próximos ao ferro lixado
dos trilhos, e vou buscar alguma rosa
que cheire a saudade de alguém
que já esteve por aqui conversando
comigo e esperando o próximo trem.
E o tempo não me deixa falar algo que
necessito dizer, mas a vida faz com eu
escreva algo que traga em sí um leve
entendimento com os conhecimentos
da própria vida e de chegar o trem e eu
entrar em dos seus vagões e seguir
minha viagem de profundas lições de amor
e juventude em minha velhice que outrora
sonhei feliz e me fiz assim, apaixonado
pela vida.



Hudo Guedes
VONTADE DE POESIA



A POESIA SOLUÇA:
CHORA PALAVRAS
E AINDA SE DEBRUÇA
NO OMBRO DA DOR
DE ALGUMA SAUDADE
QUE TRAGA O AMOR
DE ONDE NUNCA FICOU
AQUI NESTA CIDADE
ILUMINADA DE VONTADE
DE ABRIR AS ASAS DA FLOR
E VOAR PERFUMES DE ARDOR
PRA TE BUSCAR SEM METADE,
INTEIRA COMO A VERDADE
QUE IRÁ TRAZER TEU AMOR
ONDE ME VAI SER ETERNIDADE
ESSA NOSSA IMENSA VONTADE
DE ESQUECER ESSA DOR
DA DISTÂNCIA DO TEU AMOR
QUE JÁ SEM PIEDADE
ME TRAZ MAIS UMA CIDADE
SEM MAIS UMA FLOR
PORQUE O QUE ME RESTOU
FOI A SOLIDÃO DE TUA SAUDADE
QUE TANTO AGORA ME INSPIROU
A FAZER ESSA CARTA DE AMOR
E FUGIR LOGO DESSA CIDADE
PRA TE BUSCAR COM A VONTADE
DE TE DAR MEU LOUCO ARDOR,
PAIXÃO E SENTIMENTO DE VERDADE
QUE A VIDA ASSIM ME FISGOU
SÓ PRA TE DAR CARINHO E AMOR
DIANTE AS COISAS DA ETERNIDADE,
QUE SÃO SONHO E REALIDADE
MISTURADOS AO CHEIRO DE FLOR
QUE EM NÓS ASSIM BUSCOU
O AROMA CHEIROSO DA VONTADE
DE AMAR ETERNAMENTE NOSSO AMOR.



( Hudo Guedes )
PROSAS HUDIANAS


Todos os dias eu faço
as mesmas coisas:
não sou beijado,
não beijo,
desejo
quem esteja
ao meu lado,
e quem esteja
por perto
de certo
também quem
esteja afastado.

Revivo as mesmas
ocasiões:
rasgo as camisas
das solidões,
suas pétalas
desabrocho
depois acocho
seus botões
e vou-me embora
mais uma vez
lá pra fora
aos empurrões
pras solidões
de agora
em que me
vejo
cheio de
desejo
de possuir
quem me
adora.




( Hudo Guedes )
VONTADES DO AMOR


Nem me peça
pra sair de sua
vida porque não
vou sair nunca!
nunca me diga
esse não que
me deságua
o coração na
dor que sinto
de sua saudade
que longe ficou
aqui pra sempre.
Nunca me diga não
porque posso ser
a fonte dos seus
desejos de amor.
Veja que sempre
poderá existir um
sentimento de te
pedir que nunca
saia de mim e nunca
deixe de me amar!
veja isto com todo
os seus sentimentos
e me diga a palavra
inteira das paixões
no silêncio que me
faz te dizer o quanto
eu te amo e o quanto
me faz feliz te amar;
mas é preciso antes
disto ser amado por
ti e ser adorado pelo
teu coração que me
derrama essa vontade
de te acolher em mim,
de te cobrir de beijos
e mostrar pra ti que
as felicidades existem
quando se ama um amor
que protege de verdade
nossa vida e eterniza
nosso olhar puro pro mundo.
Nunca me diga não e nunca
me deixe só o coração!


( Hudo Guedes )
O DISFACE DE UM POEMA TORTO



Minhas palavras
como prostitutas,
requebram-se
e strip-tesam-se
para o tempo,
somente para que ele
sinta desejo de fazer
amor com minhas palavras,
que trazem a paz
no coração de cada letra,
que se sacrifica
pela exercução desse disface,
simplesmente para convencer
ao tempo de que a paz e as
normalidades humanas
são espécies que ainda respiram
no imo de seu mar,
no mar do tempo,
no grande mar do tempo.


( Hudo Guedes )
EU QUERIA


Eu queria que todos
me recebessem como
as rosas recebem os
colibris e fazem a festa
pra toda a natureza.
Eu queria pelo menos
que me abraçassem
e me dessem um beijo
aqui na minha face
sem despedida nenhuma,
e saissem de repente,
mas mais que de repente,
retornassem aos meus
braços de bom amigo.
Eu queria, sabe, uma maneira
de despertar no meu próximo
o mesmo carinho e respeito que
tenho pelo meu próximo, sem
aquele medo dele sentir o mesmo
amor que sinto por ele, ah eu queria.
Mas acho que não posso, não tenho
esse mesmo poder que os colibris têm
sobre a natureza das flores e suas festas.
Será que tenho? sei lá, queria que alguém
me desse essa garantia, essa força do
pensamento de saber que alguém tem
por mim aquela afeição que tanto necessito.
Eu tenho esse afeto, tenho sim, mas preciso
que alguém tenha por mim, assim como os
pássaros têm pelos ventos, o céu tem pela
cor azul, o beijo tem pelo sabor, a música tem
pelo coração e pelo ouvido da gente e pela
vida que tanto nos quer.

Hudo Guedes
FLOR E FRUTA


Uvas, rosas,
mangas, maçãs,
a pêra, goiaba
caindo no chão,
chão de poemas
perdidos e achados
pela mão que me pega
pelos olhos e me encherga
de longe, lá longe, onde estou
perto dos pomares das alegrias
e dos altares das deliciosidades
que a alma esperimenta da vida
e se faz fruta que o coração morde
e se deleita a lamber os olhos ricos
da boa visão que o amor nos dar.


( Hudo Guedes )
O PORQUÊ DA SAUDADE


A saudade é uma dança
onde danço com você
músicas da esperança
de daqui a pouco receber
notícias tuas como herança
de uma espera sem ceder
nenhum espaço ao esmorecer
porque sei que sou uma criança
que deixa o mundo assim viver
da maneira mais feliz de se ter
tu aqui pr'eu fazer aquela festança.



( Hudo Guedes )
CASCATAS DE SENTIMENTOS BONS


...te espero em meu leito!
sensação de medo, tremor
na língua do corpo que faz
minha boca gemer, e prendo
a respiração; ofego a mão de
cada sílaba de tudo que tenho
pra te dizer e captar! orvalho os dedos
que já não sabem escrever algo porque
desaprendi pela ofuscância desse
quarto semi-escuro que parece
te esperar mais do que a minha espera
nessas sensações de tu chegares,
vinda da lua úmida do banheiro
num banho das espumas remediáveis
do meu grande desejo de explorar
toda essa situação de nossa luxúria.
Ai, tu chegas, quase adonzelada e
deixa a toalha trêmula entornar-se
sobre a colcha de cetim que me guarda
pra ti, assim cheia dessas eternidades
que encantam os sentimentos bons da vida.



( Hudo Guedes )

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

[i]
MANHÃS


O pensamento viaja!
neste momento penso
em te dá carinho...
vontade de fazer uma
poesia simples e direta!
te oferecer... e ir ao teu
encontro, mesmo sabendo
que talvez seja difícil te ver
vindo ao meu encontro;
mas faço esta poesia!
contenho-me dela em versos
puramente solitários e cheios
de amor, e lhe dou esta manhã,
mais uma manhã de versos livres
com um amor vivo dentro de mim
capaz de te ofertar a alma e o corpo
como prova única de nunca mais te
esquecer nesta manhã que virá mais
uma vez amanhã, e eu aqui a te esperar,
cheio de amor e desejo, escrevendo versos
com as mãos da dor de não ter-te aqui comigo.


http://2.bp.blogspot.com/_enEsMyt3Xlo/S7-z7HxEFpI/AAAAAAAAAA0/QIQFB1xPYVs/s1600/Mi_Amor_by_SunDropsTonight.jpg

...me caso
com a poesia
que vai te buscar!
assim duas lindas
mulheres na minha vida,
me dando amor, carinho,
compreensão e sabedoria.
Eternas mãos de alegrias
escrevendo minha vida
dentro das linhas enlaçadas
do meu coração no teu coração.



Hudo Guedes
MANHÃS


O pensamento viaja!
neste momento penso
em te dá carinho...
vontade de fazer uma
poesia simples e direta!
te oferecer... e ir ao teu
encontro, mesmo sabendo
que talvez seja difícil te ver
vindo ao meu encontro;
mas faço esta poesia!
contenho-me dela em versos
puramente solitários e cheios
de amor, e lhe dou esta manhã,
mais uma manhã de versos livres
com um amor vivo dentro de mim
capaz de te ofertar a alma e o corpo
como prova única de nunca mais te
esquecer nesta manhã que virá mais
uma vez amanhã, e eu aqui a te esperar,
cheio de amor e desejo, escrevendo versos
com as mãos da dor de não ter-te aqui comigo.



Hudo Guedes

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

MAR DO AMOR

Viajo muito por
esse mar, sou
propriamente
ele, esse mar
de ondas ora
calmas ora
turbilhentas.
Não naufrago
quando amo
de verdade!
só morro afogado
quando me acabo
de amor por não
ser amado ou por
ser amado demais!
são ondas vivas
que ondulam-se
dentro de mim.
ondas de afeto
que busca afeto;
ondas de sexo
que busca carinho;
ondas fortes de
amor humano que
traz pra terra um
grande amor humano.
Ondas leves onde
surfam músicas líricas,
rock' rool com rimas
loucas, outros sons,
outros toques fortes
que tranquilizam minhas
fontes sonoras de prazer.
Mas é o meu mar de dentro
que surge neste mar de fora.
Um grande e extenso oceano
de amores que nunca me vêm
mas sempre estão mergulhados
entranhamente dentro desse
grande e carinhoso mar de mim.
Mar do amor que jamais secará
diante de teus veleiros tentando
viajarem sobre o mar do meu coração,
e às vezes não sabendo velejarem, mas
meu mar sempre ajudando-os a saberem
amar o grande mar aberto de mim.

HUDO GUEDES
FILOSOFIARTESTRUTURA


A mente humana
faz um debate
com a mente humana.
Não há entrevistadores!
de um lado uma mente
insana, do outro uma mente
bem doutrinada, aliás, correta.
Primeira pergunta da insana:
como tu és e de onde viestes?
responde com firmeza a mente:
vim das insanidades; sou agora
aquela prudência que as sabedorias
insistiram em adotar no núcleo mental
de cada ser que respira vida neste mundo.
Muito bem! jóia na peróla de cada palavra.
E quem sou? pergunta a mente insana!
responde a mente correta: és um aviso do
futuro enviado por cartas que o passado
deixou escrito e guardado no bolso da camisa
de cetim de um pássaro grego que deixou de voar
até à mim outras cartas que ainda não pude
decifrar de ti e não pude me conter de lágrimas
e chorei até dizer-te que és uma revelação da
própria humanidade disposta a te revelar ao mundo
como forma de deixar na mente de cada uma loucura
pra se ter felicidade.
HUDO GUEDES
FILOSOFIARTESTRUTURA

A mente humana
faz um debate
com a mente humana.
Não há entrevistadores!
de um lado uma mente
insana, do outro uma mente
bem doutrinada, aliás, correta.
Primeira pergunta da insana:
como tu és e de onde viestes?
responde com firmeza a mente:
vim das insanidades; sou agora
aquela prudência que as sabedorias
insistiram em adotar no núcleo mental
de cada ser que respira vida neste mundo.
Muito bem! jóia na peróla de cada palavra.
E quem sou? pergunta a mente insana!
responde a mente correta: és um aviso do
futuro enviado por cartas que o passado
deixou escrito e guardado no bolso da camisa
de cetim de um pássaro grego que deixou de voar
até à mim outras cartas que ainda não pude
decifrar de ti e não pude me conter de lágrimas
e chorei até dizer-te que és uma revelação da
própria humanidade disposta a te revelar ao mundo
como forma de deixar na mente de cada uma loucura
pra se ter felicidade.
HUDO GUEDES

http://1.bp.blogspot.com/_sjX51bjYiMA/Ss87stOFSXI/AAAAAAAAIYM/CWWWL0cmFH4/s400/O+NASCIMENTO+DA+FILOSOFIA.jpg

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

UM PORTO SEGURO


Teu olhar,
um porto seguro
pros meus olhos!

Teu coração,
um porto seguro
pras batidas do meu!

Tua boca,
outro porto seguro,
mesmo que eu venha
a beijar a mim mesmo
nesta boca solitária!

Tua mente,
mais um porto seguro
para eu poder ficar
frente a frente com o
mar das capacidades
de seguir à diante,
sem medo nenhum
de ver que estou consciente
de que sou um cidadão,
que por mais apaixonado
pelas decisões as hesitações
não me deixam o coração de lado
e se apaixonam por mim minutamente,
mas eu sou o amor das decisões, sou!
e quero ser, por mais que eu me envaideça
por essa paixões incontroláveis que as hesitações
têm por mim, que sou um porto seguro delas, sou!

E então, minha vida segue
e tua busca é minha vida,
portos que atracam poesias
e desembarcam poesias como
cargas explosivas de amor
e muitas loucuras sensuais.


Hudo Guedes